Com compra da Codemasters, EA amplia domínio entre os games de corrida

A Electronic Arts (EA) completou a aquisição dos estúdios Codemasters, após recente aprovação dos órgãos de regulamentação competitiva dos EUA. Com a compra no valor de US$ 1,2 bilhão (R$ 6,5 bilhões, na conversão direta), a EA agora se posiciona como uma das maiores empresas criadoras de jogos de corrida do mercado – se não “a” maior.

Isso porque, agora, a EA também é dona do portfólio da Codemasters, o que inclui jogos como ‘DiRT’, ‘Grid’ e a série anual de jogos da Fórmula 1. Além disso, a Codemasters adquiriu os direitos de produção de jogos da WRC (World Rally Championship) e, em 2019, comprou a Slightly Mad Studios, que produziu jogos como ‘Project Cars’ e ‘Fast & Furious Crossroads’. Isso, fora as franquias ‘Need for Speed‘ e ‘Burnout‘, que já são da EA por meio dos estúdios Criterion.

Esse é o início de uma nova e empolgante era para jogos e conteúdos de corrida, à medida que unimos os talentos das equipes da EA e Codemasters”, disse Andrew Wilson, CEO da Electronic Arts, em um comunicado à imprensa. “Nossas equipes serão uma potência global no entretenimento das corridas, com jogos espetaculares para gamers em todas as plataformas, e mal podemos esperar para começarmos”.

Marca independente
“[O dia de] Hoje é um momento marcante na história da Codemasters, e um dia empolgante para nossos funcionários e jogadores”, disse o CEO da Codemasters, Frank Sagnier. “A parceria com a EA permitirá que nossas equipes elevem nossas franquias altamente aclamadas a novos patamares e atinja uma audiência global imensa por meio de sua rede de usuários. Juntos, nós vamos redefinir o cenário de jogos de corrida para criar experiências ainda mais atraentes para fãs do gênero ao redor do mundo”.

Em um e-mail enviado ao IGN, o vice-presidente de crescimento estratégico da EA, Matt Bilbey, assegurou que, embora agora seja uma propriedade da empresa, ainda seguiria atuando de forma autônoma: “Nós vamos tratar os estúdios Codemasters como um grupo independente pelo futuro próximo, oferecendo a eles todo o suporte que precisarem para entregar seus amados jogos e explorando todas as oportunidades de crescimento conforme elas aparecem. Estamos incrivelmente empolgados pelo que o futuro lhes reserva, ainda que eles sigam independentes, estaremos lá para abastecer suas capacidades de crescimento por meio das capacidades de distribuição da EA”.

A Codemasters foi posta à venda em novembro de 2020, quando a Take-Two Interactive (dona da Rockstar Games, de ‘Grand Theft Auto’ e ‘Red Dead Redemption’) fez uma oferta de compra integral de US$ 994 milhões (quase R$ 5,4 bilhões). A EA tomou a dianteira, porém, fazendo à Codemasters uma oferta mais lucrativa que os diretores do estúdio não puderam recusar.

A EA, além da Codemasters e Criterion para jogos de corrida, ainda conta com a divisão EA Sports, para títulos como ‘FIFA’ e ‘UFC’, bem como os estúdios DICE (‘Battlefield’, ‘Mirror’s Edge’, ‘Star Wars Battlefront’), Respawn Entertainment (‘Titanfall’, ‘Apex Legends’), Bioware (‘Mass Effect’, ‘Dragon Age’) e vários outros.

Fonte: Olhar Digital

Postado em 19 de fevereiro de 2021

Receba Novidades