Ask Iwata é um livro tocante sobre um grande ícone dos video games

“No meu cartão de negócios, eu sou o presidente de uma companhia. Na minha mente, sou um desenvolvedor de jogos. Mas, no meu coração, eu sou um jogador”. Essa famosa citação de Satoru Iwata, o ex-presidente da Nintendo, é um resumo bem eficiente de sua trajetória de vida narrada no livro Ask Iwata.

O carismático CEO morreu tragicamente em 2015 por causa de um tumor, partindo com apenas 55 anos e deixando tristes milhares de fãs ao redor de todo o planeta. Afinal, longe de ser apenas um engravatado focado em números e decisões de negócios, Iwata usava todo o seu carisma para abraçar uma linguagem universal e conversar diretamente com seu público.

Isso o aproximou bastante não só dos nintendistas, mas também de todos aqueles interessados em acompanhar o mundo dos video games mais a fundo. Sempre lembrado como alguém empenhado em fazer as pessoas sorrirem com seus jogos, Iwata deixou um lindo legado, e o livro Ask Iwata é uma delicada homenagem tanto ao homem como ao símbolo que ele representava, relembrando-nos de como seus ideais seguem vivos.

Pergunte ao Iwata!
O livro foi publicado em abril de 2021 nos Estados Unidos, traduzindo a obra japonesa original de 2019. Infelizmente, por enquanto ainda não há uma versão oficial em português, de forma que precisamos apelar para a importação. Como o preço sugerido é de US$ 23 (cerca de R$ 125 na atual conversão do dólar turismo), o valor é bem elevado se levarmos em conta que são pouco mais de 150 páginas de conteúdo.

Como você pode ver no vídeo acima, a editora Viz Media fez um ótimo trabalho na apresentação do livro, que tem capa dura e uma sobrecapa muito chamativa, lembrando-nos de que a obra reúne “palavras de sabedoria do lendário CEO da Nintendo”. Por baixo dela, uma capa em relevo tem uma pequena e simpática caricatura de Iwata, capaz de aquecer o coração de qualquer um.

No geral, provavelmente esse livro poderia ser encontrado em uma livraria na seção de autoajuda ou de coaches e empreendedores, mas a graça é justamente a forma diferenciada como Iwata enxergava o mundo dos negócios e, por tabela, as pessoas que trabalhavam com ele. A mensagem dele era mais direcionada a ajudar os outros do que a si mesmo!

Desde os seus primeiros dias no comando da HAL Laboratory até os anos de maior sucesso da Nintendo, durante o reinado do Wii e DS, Iwata revela nas páginas do livro o esforço dele para sempre entrevistar todos os membros da companhia, tudo a fim de entender como o ambiente de trabalho poderia ser mais agradável para todos e, assim, fazer a equipe inteira render mais.

É muito interessante ver a história de sua vida organizada de forma cronológica ao longo de sete capítulos: “Iwata, o futuro presidente”; “A liderança de Iwata”; “Iwata, o indivíduo”; “As pessoas em quem Iwata acredita”; “Os jogos que Iwata pretende criar”; “Lembrando de Iwata”; “Iwata, a pessoa”.

Com uma ajudinha de seus amigos
Praticamente todo o texto presente em Ask Iwata foi tirado das páginas de Iwata Asks, uma série de entrevistas conduzidas pelo próprio presidente da Big N, e Hobo Nikkan Itoi Shinbun ou Hobonichi, um dos maiores blogs do Japão cujo editor-chefe é ninguém menos que Shigesato Itoi, o criador da série Mother e um dos melhores amigos de Iwata.

As últimas páginas da leitura são algumas de suas mais emocionantes e interessantes, já que elas não foram escritas por Iwata, mas sim por Itoi e Shigeru Miyamoto, que compartilham algumas histórias interessantes sobre os anos que passaram ao lado de seu saudoso companheiro.

O relacionamento entre Iwata e Miyamoto é um prato cheio para nintendistas, já que primeiro somos expostos à visão de Iwata sobre a grande estrela do desenvolvimento interno na Big N. Como Iwata era mais especializado em programação, elaboração e revisão de códigos, ele admitia achar fascinante a forma como Miyamoto tinha ideias e visões próprias sobre os jogos em um pensamento mais abstrato.

Já Miyamoto, por sua vez, revela que “nunca viu Iwata como o seu chefe, mas sim como amigo”, já que os dois conversavam bastante e trocavam ideias sobre quais rumos os projetos deveriam tomar. Logo, fica claro o quanto os talentos deles se completavam e como os video games se beneficiaram com a união dessas duas grandes mentes!

Como Itoi relembra, Iwata era muito bom em avaliar o andamento de um projeto e então oferecer opções para desenvolvê-lo. Ele revive detalhadamente o emblemático caso de Mother 2 (ou Earthbound nas Américas), quando o seu time estava com dificuldades e ele procurou Iwata pedindo ajuda.

Fonte: TecMundo

Postado em 20 de maio de 2021

Receba Novidades